Tick a Ectoparasita

A URL encurtada deste artigo é: http://cvqt.vet/_Ffp76
[Total: 4    Média: 4.5/5]

Parasitas

Dentre os parasitas comuns em répteis, os de pele (ectoparasitas) são encontrados com bastante frequência.

Os ectoparasitas são bem comuns em criatórios e instituições que mantém esses animais, mas ela também pode ocorrer com animais mantidos como PET. Os ectoparasitas mais comuns são os carrapatos, seguidos dos ácaros e piolhos.

Os carrapatos do gênero Amblyomma são os mais comuns de serem visualizados no animal. São ectoparasitas hematofagos, ou seja, se alimentam de sangue. No animal parasitado podem induzir a perda de sangue, transmitir outras doenças, e no local da pele onde houve o contato há a possibilidade de contaminação por outros agentes devido a ferida exposta.

Existem vários gêneros de carrapatos, sendo os mais comuns: Amblyomma, Aponomma, Ixodes,  Haemophysalis e Hyalomma.

Os ácaros são também bem comuns em serpentes e lagartos, que ficam no ambiente do terrário onde o animal esfrega seu corpo e também nas tijelas de água. Tanto ácaros como os carrapatos, podem causar vários problemas de saúde nos animais acometidos, sendo os mais comuns: anorexia, prurido, dermatites, anemia, septicemia, disecdise (ecdise não correta), retenção da película ocular durante a ecdise, desidratação, entre outros.

O diagnóstico pode ser realizado pela observação dos ectoparasitas na pele do animal, entre as escamas, no terrário, e também os proprietários podem ser acometidos, principalmente pelos ácaros. Todos os ectoparasitas devem ser enviados ao laboratório para avaliação e definição da espécie. Os animais acometidos devem realizar exames de sangue para checar se não há anemia.

Os locais mais comuns de se encontrar os ectoparasitas nos animais são: área periocular (ao redor dos olhos), região do queixo, laterais do corpo, nas reentrancias do casco nos quelônios e entre as escamas.

O tratamento pode ser realizado com remoção do ectoparasita, uso de medicações específicas, banhos e controle do ambiente. Consulte seu veterinário especializado para melhores esclarecimentos.

Receba nossas atualizações.
  • 11
  •  
  •  
  •  

Comentários